Secretaria do Ambiente acha fábrica de balões na Zona Oeste do Rio



Foram apreendidos 20 balões, 50 kg de explosivos e animais silvestres. Galpão fica perto da guarita do Parque da Pedra Branca, em Realengo.

Fiscais da Coordenadoria Integrada de Controle de Crimes Ambientais (Cicca), da Secretaria estadual do Ambiente encontraram, na tarde desta quinta-feira (19), cerca de 50 kg de explosivos em uma fábrica de balões que funcionava num galpão a poucos metros da guarita de entrada do Parque estadual da Pedra Branca, em Realengo, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Um homem que se identificou como dono do material foi preso.

Segundo o coordenador José Maurício Padrone, no galpão os fiscais encontraram 20 grandes balões, quatro espingardas, grande quantidade de munição, fogos de artifício e material para a confecção de balões. No local, também havia cerca de 20 pássaros e outros animais silvestres engaiolados em condições precárias.

“Há cerca de um mês estamos investigando a informação de que nas proximidades funcionaria uma fábrica de balões. As pessoas se reúnem à noite para a confecção do material. O movimento é maior nesta época do ano, com a proximidade das festas juninas”, disse Padrone.

Soltar balão é crime. A Lei 9.605 diz que provocar incêndio em florestas ou matas dá cadeia de dois a quatro anos. Já a pena para quem fabricar, vender, transportar ou soltar balões é de um a três anos de prisão ou multa de R$ 1 mil a R$ 10 mil, ou ambas as penas, dependendo da situação.

Fonte: g1.globo.com

Página Inicial