Cenógrafo de Bangu reproduz vagões chineses do Metrô para exposição em estações



A viagem do metrô ficou mais longa. Além das estações das linhas 1 e 2, ela vai até Bangu, na imaginação do cenógrafo Clécio Regis. Ele, que embarcou em uma nova missão com 30 funcionários do ateliê, tem, até o início de abril, para entregar duas réplicas cenográficas de vagões originais dos trens chineses, encomendados pelo Metrô Rio.

Segundo o Metrô, os vagões de mentirinha estarão expostos em três estações na semana em que os reais deverão chegar ao Porto do Rio. Neles, o usuário poderá sentir a potência do ar condicionado e assistir à programação das novas TVs. — O usuário poderá entrar nos vagões. A ideia é fazer o mais próximo do real, usando as peças chinesas fornecidas pelo Metrô: alças e ferros de aço inox, botões da cabine de comando e o banco do piloto — explica.

Morador de Bangu, Clécio conta que os vagões serão instalados em plataformas cenográficas de um metro cada. Na Carioca, o mockup (metade de um vagão), iluminado por Peter Gasper, estará na área interna, em frente à faculdade. Na General Osório, haverá uma réplica na área de exposições. A outra réplica, a da Saens Peña, estará exposta em uma área externa, coberta, bem no acesso à estação.

— No currículo do Peter, meu amigo, só está a iluminação do Cristo Redentor e de Brasília, por exemplo — destaca Clécio Regis. Cada composição cenográfica, com 10 metros de comprimento por 2,80 de largura— a medida do vagão original — terá estrutura de madeira do tipo MDS. Os vagões vão receber o acabamento em pintura automotiva.

Usamos ferro tubular para fazer o apoio das mãos, além de fibra-resina nos bancos e na frente do trem, que têm nove lugares de cada lado. E acrílico, imitando vidro — conclui Clécio Regis. Direto da China para o metrô: Os trens cenográficos estarão à espera dos usuários nas estações na semana do dia 10 de abril, informa o Metrô. Neles, todos poderão entrar para ver (e perceber) as novidades. Conforme o EXTRA antecipou em agosto de 2010, durante viagem à China, os 19 trens encomendados pelo Metrô à chinesa Changchun Railway Vehicles (CNR) terão seis vagões com uma capacidade de ar condicionado 33% maior do que o usual.

Os trens poderão levar 1.800 pessoas, que terão livre circulação entre os carros, sem portas divisórias. O cenógrafo Clécio Regis tem no currículo trabalhos como a estátua em bronze de Roberto Marinho, no Projac, e a fabricação do troféu Melhores do Ano, entregue pelo Faustão, na TV Globo.

Foi ele quem fez os cenários da minissérie “Hoje é dia de Maria”, de Luiz Fernando Carvalho, com 8800 metros quadrados.

Fonte: extra.globo.com

Página Inicial