Sandra Lima
Correspondente da TV LOKAL em Jacarepaguá
Produtora de Audiovisual
E-MAIL: sandralimaprodutora@gmail.com



Conheça os brasileiros que foram para Cannes na última década



Antes de ganhar a Palma de Ouro do Festival de Cannes, o Brasil chegou "quase lá" duas vezes: a primeira quando O Cangaceiro levou um prêmio em tributo ao diretor e escritor Lima Barreto e a segunda quando Orfeu Negro, uma co-produção com a França e com a Itália, foi premiado em 1959. Mas, para a alegria dos brasileiros, O Pagador de Promessas, de Anselmo Duarte, foi para Cannes em 1962 e finalmente faturou o prêmio máximo do evento.

De lá para cá, a participação do País no evento só aumentou. Nos últimos dez anos, cerca de 40 filmes nacionais foram exibidos na pequena cidade do sul da França, tanto na Seleção Oficial como na programação paralela ao Festival de Cannes. Foi lá que Cidade de Deus, filme de Fernando Meirelles, fez barulho pela primeira vez, em 2002, ao ser exibido na mostra não competitiva. Longas como Carandiru eLinha de Passe também tiveram sessões no evento valendo a Palma de Ouro.

Cidade de Deus', de Fernando Meirelles, não competiu em Cannes, mas chamou a atenção no festival em 2002 Nas mostras paralelas, a presença do Brasil é mais forte. Por exemplo, o longa Trabalhar Cansa foi uma das atrações do ciclo Um Certo Olhar, em 2011, enquanto o curta-metragem Um Sol Alaranjado ganhou o prêmio da mostra Cinéfondation em 2002. Neste ano, os brasileiros estão representados por Walter Salles, que está na competição com Na Estrada, e pelo filme A Música Segundo Tom Jobim, que vai ter uma sessão especial.

Fonte: Jornal do Brasil

Página Inicial