Sandra Lima
Correspondente da TV LOKAL em Jacarepaguá
Produtora de Audiovisual
E-MAIL: sandralimaprodutora@gmail.com



Secretários de Meio Ambiente discutem Carta da Amazônia Brasileira na Rio+ 20



O processo para a elaboração e conteúdo da Carta da Amazônia Brasileira para a Rio+20 foi apresentado na tarde desta segunda-feira (18), durante o encontro dos secretários de meio ambiente da Amazônia Legal, no Pavilhão do Estado do Rio de Janeiro, Parque dos Atletas. O encontro, promovido pela Associação Brasileira de Entidades do Meio Ambiente (ABEMA) e Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente (ANAMMA), teve como objetivo apresentar as contribuições e demandas para a promoção do desenvolvimento sustentável da Amazônia, resultado do amplo processo de diálogo e debates promovidos pelo Fórum de Secretários de Meio Ambiente da Amazônia, com os nove grupos majoritários de cada Estado. A abertura do encontro foi realizada pela presidente do INEA, Marilene Ramos; sub secretário de Meio Ambiente do Rio de Janeiro, Luiz Firmino; pelo presidente da ANAMMA, Mauro Buarque e pelo presidente da ABEMA, Hélio Gurgel Cavalcante, que destacou a busca dos Estados pela sustentabilidade. A mesa redonda foi composta pelos secretários que compõem a Amazônia Legal e presidida pelo secretário de meio ambiente do Mato Grosso, Vicente Falcão de Arruda. Na ocasião, a secretária de Estado do Desenvolvimento Ambiental de Rondônia (Sedam), Nanci Rodrigues, destacou as políticas públicas desenvolvidas pelo Estado voltadas para a preservação ambiental, enfatizando o Projeto Arranjos Produtivos Sustentáveis cujo objetivo é identificar a potencialidade da região ou município para que através de uma articulação do governo junto à sociedade civil organizada, formar cadeias produtivas desde a produção, logística e comercialização, formando um grande arranjo produtivo onde todos os componentes da cadeia possam ter a sua rentabilidade, gerando emprego e renda para os pequenos produtores. O Projeto Águas Produtivas Sustentáveis é um projeto de inclusão social e econômico que favorece a agricultura familiar com um hectare de lâmina de água, para a criação de peixes de espécies nativas, com regularização ambiental. Outro projeto destacado por Nanci durante o encontro foi o projeto “Plante em Rondônia, Plante seu Negócio, o seu futuro”, conhecido como Floresta Plantada, potencializando economicamente as áreas degradadas que serão incorporadas as áreas produtivas, incidindo com ganhos econômicos, inibindo a pressão sobre as florestas nativas e tendo mais critérios com os manejos florestais em florestas nativas. No mesmo espaço, os secretários debateram o Pacto Nacional pela Gestão das Águas que visa à construção de compromissos entre os entes federados para a promoção do uso múltiplo e sustentável dos recursos hídricos, sobretudo nas bacias hidrográficas compartilhadas e a Carta do Cerrado, que versa sobre a conservação e desenvolvimento do bioma. Nanci Rodrigues enfatizou que a Amazônia e cerrado deixam um legado na Rio+20 que é o compromisso dos gestores públicos em construir conjuntamente com a sociedade o Pacto pelo Desenvolvimento, Carta do Cerrado e da Carta dos Governadores. A secretária falou ainda de conectar o bio cerrado que compõe o corredor da biodiversidade Guaporé-Itenez-Mamoré para a manutenção do fluxo genético, garantindo a preservação das unidades de conservação e terras indígenas, combatendo o desmatamento no Estado.

Fonte: G1

Página Inicial